A Ascensão do Solar Risk Officer

Tradicionalmente, projetos de usinas fotovoltaicas em escala de utilidade e outras instalações solares não alavancaram uma função de Chief Risk Officer dedicada na mesma medida em que os antigos projetos de energia normalmente o faziam. Com o tamanho do investimento em cada projeto solar, é difícil acreditar que falou um olhar mais profundo para diferenciar o desempenho da planta.

Isso está prestes a mudar.

As seguradoras agora estão exigindo dados mais profundos e representativos sobre o potencial de inatividade de plantas fotovoltaicas, interrupção de negócios, prazos de substituição por garantia, robustez de componentes, riscos climáticos extremos e efeitos de mudanças climáticas, despesas operacionais de longo prazo e muito mais.

Isso significa que as partes tradicionalmente incumbidas de fornecer percepções sobre o orçamento de seguro apropriado, ou seja, o CFO, o consultor jurídico, o gerente de ativos ou a equipe de gerenciamento de projetos de um desenvolvedor ou EPC, passam a não ser as mais adequadas para o trabalho. É necessário um terceiro neutro para determinar as implicações de risco.

A introdução do CRO dedicado na equação solar é a chave para resolver os desafios atuais relacionados às taxas de seguro estratosféricas e cobertura em declínio.

O Contexto: Os custos de seguro estão aumentando na indústria solar

Esse aumento fenomenal pode ser atribuído a uma falta geral de percepção das despesas operacionais de longo prazo, particularmente relacionadas a danos climáticos extremos causados por vento e granizo. Essa falta de conhecimento fez com que os custos aumentassem, as franquias aumentassem e a cobertura diminuísse. Na geração de energia por meio de combustíveis fósseis, os modelos e dados históricos são previsíveis e comprovados, o que deixa as seguradoras mais dispostas a entrar na jogada.

No entanto, há esperança. O Project Finance News também descobriu que, em geral, “empreendedores maiores com programas de gerenciamento de risco mais sofisticados são mais facilmente capazes de garantir a cobertura de seguro”. O objetivo final é trabalhar nesse alto patamar de granularidade e sofisticação.

Escolhendo e capacitando um Solar Risk Officer

Questões e incertezas em torno dos projetos tornam as seguradoras mais propensas a transferir o risco financeiro de si mesmas para financiadores e desenvolvedores. Por exemplo, a seguradora global de energias renováveis ​​GCube exige que os ativos eólicos atinjam um certo número de horas de operação antes que a cobertura possa ser concedida.

As seguradoras podem seguir esse exemplo no setor de energia solar, esperando por mais certeza antes de oferecerem uma cobertura elevada – ou mesmo qualquer cobertura.

Para desenvolvedores que consideram um projeto solar em escala de utilidade, melhores informações iniciais os ajudarão a criar modelos melhores para seus investimentos.

Os projetos de usinas fotovoltaicas precisam selecionar cuidadosamente o equipamento certo, entender completamente suas capacidades, principalmente no que se refere à resistência a eventos climáticos extremos e, simultaneamente, oferecer evidências e modelos claros que demonstrem tempo de atividade e produção maximizada durante a vida útil proposta de uma usina.

Isso significa que eleger um Chief Risk Officer formalizado não é mais um luxo. É uma necessidade para produtores de energia solar fotovoltaica e provedores de serviços, assim como tem sido em outros setores semelhantes, como financiamento e capital intensivo.

As taxas de seguro e cobertura continuarão as tendências negativas atuais até que um negociador dedicado – o CRO – possa fornecer informações mais confiáveis ​​e comprovadas.

Juntamente com os especialistas em módulos, balance of system (BOS) e EPC, o Chief Risk Officer pode certificar, documentar e provar a robustez e o histórico de testes de todos os componentes da planta solar fotovoltaica e seus respectivos transportes, construção e instalação, resiliência climática, e custos atualizados de operação e manutenção.

O papel da Array no suporte a esses novos Solar Risk Officers

Os especialistas da Array estão prontos para fornecer suporte a projetos de ponta a ponta, incluindo assistência na concepção e implementação do plano certo para cada local, oferecendo recursos de produção poderosos, componentes robustos e menor custo total de propriedade.

Certeza e evidência serão as forças motrizes por trás das melhorias nas taxas de seguro e cobertura. O rastreador solar de eixo único Array DuraTrack® HZ v3 fornece evidências claras de flexibilidade, desempenho e robustez diante de eventos climáticos extremos que normalmente seriam catastróficos para projetos de usinas fotovoltaicas.

Como os rastreadores representam, segundo a BloombergNEF, uma média de 10 a 15% dos custos de um projeto de energia solar, eles também podem ser um fator central no seguro da planta. Embora os rastreadores apresentem uma pequena porcentagem dos custos totais, eles têm a capacidade de impactar substancialmente o desempenho e a durabilidade de um projeto. Um histórico de mais de três décadas, combinado com pesquisas independentes, mostra que o Array DuraTrack® é a escolha ideal quando se busca uma combinação de componentes, tecnologia e serviço para reduzir custos a longo prazo.

Ao escolher um rastreador de desempenho comprovado, que contribui diretamente para reduzir o risco geral, os projetos de usinas fotovoltaicas podem entrar em negociações com as seguradoras com mais força. Como resultado, isso mitigará e diminuirá seu risco geral.

Entre em contato com a Array Technologies hoje mesmo

Para saber mais, entre em contato conosco hoje.